domingo, 16 de maio de 2010

A estupidez humana

Nós, humanos, ditos seres racionais, somos estúpidos. Na minha opinião, dos animais mais estúpidos à face da terra, sem dúvida alguma . Contra mim falo, porque estupidez é o que não me falta em muitos momentos da minha vida. Estupidez parva, como doses de mesquinhice e egoísmo é o que mais há. Preocupações fúteis, sem fundamento, mostrar as aparências, olhar para si, para o seu umbigo. Ter dinheiro, trabalhar ou arranjá-lo de outra forma, estoura-lo em coisas parvas, desnecessárias. Dar tudo aos filhos que não precisam de quase nada. Carrancudos, mal dispostos, a queixarem-se da vida e dos problemas que esta trás. Nunca satisfeitos. Sempre a querer mais e mais e mais. Nunca felizes. Sempre a cobiçar o que o outro tem e pisá-lo para ter melhor, se necessário. Poucas demonstrações de afecto. Mostrar que se ama é ser-se fraco, pensam muitos. E não se deve demonstrar muito, pois torna o outro mais forte, pensam outros... Viver muito para si, dentro de si, sem dar muito aos outros encontrando sempre uma razão para tal. Ter sempre o pé atrás e desconfiar do próximo, nunca acreditar. É assim o humano...Mas de repente o seu mundo desaba, cai, afunda. Algo acontece, algo muda e mexe com tudo. Algo mau que não estava planeado para aquela vida tão delineada, cheia de coisas concretas e sentimentos já vincados e não pensados. E assim tentam segurar o mundo deles prestes a desabar, a acabar e repensam em tudo o que foram, tudo o que fizeram, tudo o que são e chegam a tristes conclusões. Depois o mundo recompõe-se, não chega a cair. E então, a estupidez humana instala-se novamente e a queda é esquecida, ignorada, apagada da tal vida. Ou não...Ou é relembrada nos vários momentos do dia, da vida e esta é vivida como pessoas não estúpidas, não mesquinhas, não fúteis. E o que mais desejo para mim é que o meu mundo nunca tenha de cair, nem sequer tenha de se inclinar um bocadinho para deixar de fazer parte dos humanos estúpidos, mesquinhos e fúteis aos quais pertenço. Existe um mundo para além de nós.

3 comentários:

carmo pinto disse...

ai minha querida deixas te confusa1
isto de os levar para os parques temos de nos preparar psicologicamente para varias saidas...bom valeu te o cão e os 10 euros!
que chatice podiam ser 20,50... lol
jinhos minha querida e calma vou trocer que o sr vulcão se acalme
jitos

Sónia Alexandra disse...

Amiga o raio do vulcão nunca mais se acalma...o teu destino é ficar por cá...beijinhos doces à doce Mia.

Aline disse...

Isso é que é inspiração! A Mia não deixa a Mamã dormir (o Martim tb não).
Boa viagem amanhã (espero)
Beijinhos